Startups: não se apegue à ideia, mas apaixone-se pelo negócio

  • Comunicação Latinoware
  • 1456
  • 2018/10/18

Conheça a Lett, empresa brasileira que cresceu 500% em um ano e ganhou sede em outros 4 países, mas nem sempre a história foi assim

 

Com a palestra “O que eu gostaria que tivessem me contado quando comecei minha startup”, o mineiro e engenheiro eletricista, Fabrício Massula, apresentou ao público do Latinoware 2018, na tarde desta quinta-feira (18) o histórico do case de sucesso no qual é sócio e fundador, a Lett – startup referência em trade marketing digital. No período de janeiro de 2017 a janeiro de 2018 a empresa cresceu cerca de 500% e hoje está presente no Brasil, com sedes em Belo Horizonte e São Paulo, e também em outros 4 países: Argentina, Chile, Colômbia e México.

O sucesso não veio facilmente. Fabrício e os seus outros 4 sócios fracassaram na primeira ideia. Investiram tempo, dinheiro e energia em um modelo de negócios que eles acreditavam ser promissor. Oferecer uma plataforma gratuita que analisasse os menores preços dos supermercados e que efetivasse a compra sem o consumidor precisar sair de casa, com entrega e sistema de lista inteligente, tudo para facilitar a vida de quem precisava poupar tempo e dinheiro, mas principalmente, para quem “odiava ir ao mercado”, como conta o idealizador.

 

Mesmo sendo funcional e agregando valor social, principalmente para o bolso do consumidor, a plataforma não despertou interesse de clientes, investidores, tampouco das redes de supermercados. Ao contrário, receberam ameaça de processos judiciais e gastaram todas as reservas financeiras. Depois de 4 meses desenvolvendo o produto em Florianópolis (SC), desistiram da ideia, voltaram para Belo Horizonte e depois de um tempo resolveram começar novamente.

Foi em 2017 que a estratégia mudou e o modelo de negócios também. A Lett migrou totalmente de ramo e o que antes era uma relação B2C (Business-to-costumer) transformou-se em uma B2B (Business-to-business). A plataforma que antes fazia atendimento ao consumidor, hoje é um hub de comunicação entre a indústria e o varejo com ações de trade marketing digital. “Sou apaixonado pelo negócio e não pela ideia. Foi preciso muita resiliência, dedicação e  combinatividade para dar certo”, explica Fabrício.

Ao final da apresentação o empreendedor deixou 7 dicas para o público: que evitem fazer a otimização prematura da ideia antes de testar; foque e resolva problemas reais, faça sociedade com pessoas com habilidades distintas e estabeleça uma relação de confiança; venda sua ideia depois corra atrás para aperfeiçoá-la; trabalhem com a regra de Pareto – 20% esforço, para 80% de resultado; invista em desenvolvimento pessoal e por mais que sua ideia tenha potencial de escalabilidade foque no local, dando resultado, aumente seu alcance.

Apoio