O quanto você cuida da sua reputação na rede?

  • Comunicação Latinoware
  • 233
  • 2018/10/18

Consultora alerta sobre perigo de manter dados e informações abertas nas redes sociais

“O que acontece é que hoje as pessoas não estão mais preocupadas com sua reputação nas redes, por isso tantos incidentes acontecem”. A declaração é da empresária  e consultora de segurança de informática, Gracielle Torres, que ministrou palestra sobre a importância da proteção da reputação na rede, durante o primeiro dia da 15a edição do Latinoware.

Para ela, a proteção de dados tanto na internet, quanto no whatsapp deveria ser um hábito entre os usuários. “As pessoas acabam deixando muitas pistas, pegadas virtuais. Não somente com informações abertas, mas com o que curtem, o que compartilham, acaba ficando guardado pelo Google”. Os cuidados também devem ser interpretados dessa forma para outros meios, como o whatsapp. “Se uma pessoa consegue seu número de telefone, ela chega rapidamente a uma série de informações a seu respeito, sem que você sequer tenha conhecimento disso, pois permite que seus dados sejam compartilhados, sem saber que podem ser restritos e fechados”.

Gracielle ainda alerta para golpes e “desafios”, como o mais recente Momo, onde adultos acabam chantageando adolescentes via telefone celular. “O mais conhecido desafio foi da Baleia Azul, onde as provas consistiam em controlar o sono e mais gravemente levar ao suicídio. Hoje, o Momo traz essa onda novamente, mas acaba difundindo uma atividade criminosa, com o compartilhamento de fotos de menores”.

Para a consultora, o monitoramento de dados pessoais nas redes deve ser feito constantemente para evitar a propagação indevida de dados, tanto entre adultos quanto para crianças. “Isso também pode atrapalhar na busca de emprego. Há empresas que consideram mais essa vida digital do que o próprio currículo”.

A necessidade de participação dos pais nesse monitoramento da vida on-line das crianças também deve ocorrer de forma incisiva. “Hoje os pais não podem mais se dar ao luxo de não conhecer a internet. Eles precisam ser ativos e atentos aos programas que seus filhos integram e participam. Não há outra maneira”.

Entre os erros mais frequentes apontados por Gracielle estão; a falta de proteção de dados, postagem de fotos indevidas e a não geração de conteúdo relevante, de qualidade. A consultora alerta para que os cuidados sejam tomados com simples medidas na configuração de cada meio.

 

Apoio