metaverso-realidade-virtual

Apesar de parecer algo muito futurístico, o metaverso tem se expandido cada vez mais, se tornando um recurso de grande potencial para as pessoas – como indivíduos – e para as empresas.

Afinal, o que é Metaverso?

Esse termo se refere, de forma simples e direta, a um ambiente virtual – uma realidade virtual – onde o usuário pode ficar “imerso”.

Assim, o metaverso é criado através da junção de diversas outras tecnologias e, basicamente, une o mundo real e o mundo virtual.

Considerado uma das primeiras tentativas em construir um mundo virtual, a empresa Liden Lab lançou, em 2003, um jogo chamado Second Life.

Ele nada mais era do que um local onde você poderia construir um avatar e socializar com outras pessoas – sim, quase como o famoso “The Sims”.

O jogo ficou tão famoso que até fez uma aparição no seriado “The Office (USA)”, de 2005.

Apesar de ser um grande exemplo de metaverso, “Second Life” não conseguiu representar da melhor maneira a união do mundo real e virtual.

Entretanto, esse start foi tão forte que, atualmente, muitos outros jogos contam com essa proposta de metaverso, como Fortnite – que possui, até mesmo, um avatar das cantoras Anitta e Ariana Grande.

Porém, o metaverso não está restrito apenas aos jogos.

Este universo digital e tecnológico busca englobar tudo o que envolve a vida “real” das pessoas, seja no quesito trabalho, estudo, lazer ou, até mesmo, relacionamentos.

Metaverso nas empresas

Graças ao seu crescimento tão rápido, o metaverso atraiu a atenção de grandes empresas, que buscam implementar esse mundo tecnológico, de modo a crescer e se desenvolver da melhor maneira possível.

Um grande exemplo é a empresa Facebook Inc. Extremamente conhecida – e muito utilizada – essa ferramenta foi criada por Mark Zuckerber em 2004.

Entretanto, com o avanço da tecnologia, após adquirir outras grandes empresas (como o Instagram – rede social de fotos e vídeos – e o WhatsApp – troca de mensagens online), Mark Zuckerberg anunciou recentemente um novo nome para o grupo: Meta.

O presidente da companhia diz que a mudança de nome busca refletir o próximo passo da empresa: o metaverso.

Além do Meta, outras grandes empresas apostam no metaverso, como: Nvidia, Nike, Microsoft e, até mesmo, o Banco do Brasil – empresa brasileira do setor financeiro.

Por exemplo, a Nvidia criou o NVIDIA Omniverse, que é uma plataforma onde profissionais podem construir metaversos.

É um local colaborativo e pessoas como artistas e designers podem deixar a imaginação fluir.

Já a Nike trouxe ao mercado a Nikeland, que fica inserida no jogo Roblox.

A Microsoft, por outro lado, lançou o Mesh (2021).

Ele é um programa que possibilita que as pessoas realizem reuniões com o uso de hologramas – muito futurístico, não?

E o Banco do Brasil não poderia ficar de fora. De modo similar ao da Nike, a agência bancária divulgou uma experiência do metaverso dentro do jogo GTA (Grand Theft Auto).

Neste caso, o jogador pode abrir uma conta para o personagem, bem como trabalhar no abastecimento do caixa.

Conclusão

Sendo assim, é possível dizer que muitas empresas podem se beneficiar ao apostar no marketing dentro do metaverso, principalmente quando inseridos em jogos, uma vez que é possível interagir com farmácias, mercados, shoppings e lojas.

Um campo da tecnologia em constante crescimento e que pode trazer infinitas novidades e benefícios para empresas, pessoas físicas e marcas famosas, o metaverso é uma ferramenta que deve ser utilizada para que todo o seu potencial seja explorado.

Você já conhecia todas essas empresas que atuam e investem no metaverso?

Vale destacar que, durante a Latinoware teremos discussões a respeito desse tema, levando para todos os participantes os detalhes a respeito desse campo tecnológico e como ele pode ser aplicado para seu benefício.

Não dá para perder.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Realização:

Patrocínio:

Apoio:

Local do evento