Se você é da área de tecnologia, já deve saber que o termo Internet das Coisas (IoT – Internet of Things, em inglês) foi utilizado pela 1ª vez há mais de 20 anos, em 1999. Também sabe que essa tecnologia já é desenvolvida há algum tempo. Entretanto, somente nos últimos anos, sobretudo com a possibilidade trazida pelo 5G, é que a IoT vem se popularizando.

Já quem não trabalha na área, mas é entusiasta da tecnologia, alguma vez deve ter visto o termo, pelo menos quem já participou de edições anteriores da Latinoware. Logo, pode ter curiosidade em relação ao tema e, talvez, uma das principais seja se estamos caminhando para um futuro estilo “Os Jetsons”.

Os Jetsons: o futuro começa agora

IoT - Os Jetsons animação de 1962
Jane Jetson acompanha seu filho Elroy em uma consulta virtual – © The Jetsons/Hanna-Barbera Productions e co-produtoras

O desenho, produzido em 1962 por Hanna-Barbera, mostra o cotidiano de uma família vivendo no ano 2062, ou seja, daqui a 40 anos. Exibido quando os computadores ainda estavam na 2ª geração (ainda eram grandes máquinas utilizadas somente por profissionais), a animação sugeriu diversas tecnologias que facilitavam a vida dos personagens. Entre as mais fabulosas inovações estavam as máquinas que ajudavam as pessoas a se vestirem, jetpacks e carros voadores.

E o que chama mais atenção é que a maioria dos objetos inteligentes que aparecem no seriado já são comuns à nossa realidade. Televisões finas, vídeo chamadas, aspiradores de pó automáticos, smartwatches… São realidade até mesmo os jetpacks. E, ainda, a Embraer divulgou o  lançamento do carro voador para os próximos 4 anos. Então sim, já alcançamos esse momento no qual a internet e a tecnologia está presente em todas as atividades humanas.

Nada se copia, tudo se transforma com a IoT

Essa evolução existe, no mundo real, graças à tecnologia IoT que, simplificadamente, consiste na ideia de conectar as ferramentas de uso diário à internet. Dessa maneira, objetos podem transmitir dados entre si, facilitando e agilizando desde o trabalho humano até a produção industrial.

Kevin Ashton, que cunhou o termo, afirmou em 2009, que os computadores e a internet dependiam muito dos dados que as pessoas ofereciam. Portanto, a IoT vem se desenvolvendo com o objetivo de que computadores aprendam sobre as coisas, sem depender das pessoas. Dessa forma, é possível rastrear e contabilizar tudo, resultando numa grande redução de desperdício, resíduos e custos.

A importância de códigos abertos para a IoT

IoT - Os computadores da 2ª geração.
Os computadores da 2ª geração. Isso era o que existia de tecnológico na época do lançamento da animação “Os Jetsons”. ©Dinossaur’s Pen

Muitas tecnologias são importantes para o desenvolvimento da IoT, entre elas é possível destacar Inteligência Artificial (AI), Machine Learning (ML) e, principalmente, o desenvolvimento de códigos abertos. Esse último permite que as pessoas personalizem, reutilizem e melhorem sistemas operacionais que já existem. Por outro lado, sem software livre, essas mudanças, esses avanços são atrasados, porque os desenvolvedores têm que construir tais códigos repetidamente.

De acordo com a Statista, o número de aparelhos conectados à IoT vai duplicar até 2028, podendo chegar a mais de 25bi de produtos inteligentes. Logo IoT, AI, ML, segurança, são tópicos muito importantes, especialmente para quem deseja trabalhar na área de tecnologia. Acesse o site do Latinoware e se inscreva no evento para ficar por dentro desses e outros assuntos relacionados à Internet das Coisas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Realização:

Patrocínio:

Apoio: