Inteligência artificial no combate ao câncer

  • Comunicação Latinoware
  • 527
  • 2018/10/18

 

 

Bolsistas desenvolvem sistema de diagnóstico do câncer de mama utilizando A.I

Diagnósticos mais precisos, eficientes e rápidos. Assim a utilização de inteligência artificial dentro de resultados de exames de ultrassonografia podem ajudar a salvar vidas.

A ideia surgiu das estudantes de mestrado em Engenharia  Elétrica e Computação, Claudia Ivarrola e da acadêmica do curso de Ciência da Computação da Unioeste, Khadije Lopes El Zein. Juntas são bolsistas do Centro Latino-Americano de Tecnologias Abertas, sob a supervisão da professora Adriana Kawati, e apresentaram durante o segundo dia do Latinoware, o projeto  de aplicação de uma metodologia computacional para a classificação de lesões mamárias em imagem ultrassônica.

“Pensamos em algo que pudesse dar agilidade a esse processo e encontramos a utilização da A.I nesse sistema”, explicou Claudia.

Hoje, segundo as autoras do projeto, 90% das biopsias  são por lesão benigna. “Ou seja, se fossem detectadas de maneira mais eficiente não era necessário pedir o exame para confirmação”, comenta Khadije.

Após um estudo detalhado sobre os diferentes formatos apresentados nos casos malignos, elas confirmaram a necessidade de obter uma detecção de imagem mais fiel e nítida por parte da ultrassonografia. Nos casos de lesões benignas, o formato identificado é definido e arredondado. Já o maligno apresenta disformidade. A dúvida gerada pela análise desses formatos, rende repetidos exames e conclusões de um radiologista.

Com o uso de sistemas de inteligência artificial, o processamento das imagens reproduz com maior fidelidade as características do tumor. isso possível, pois dentro dos sistemas reunidos pelas bolsistas, uma automação  do processo na classificação e segmentação das imagens permite o reconhecimento pela qualidade. “Treinamos a máquina e alimentamos com imagens e informações sobre cada característica, para que esse diagnóstico possa ser feito de maneira rápida e exata”, explica Claudia.

O estudo ainda está em andamento e fará parte do projeto de conclusão de curso de ambas. Ainda assim  o sistema de auxílio de diagnóstico já conta com parcerias no México e Rio de Janeiro, onde está em processo de pesquisa.

O câncer de mama representa 29% dos casos de câncer em mulheres. Em 90% dos casos há cura, desde que o diagnóstico seja precoce.

 

Apoio