PTI é representante do Linux Professional Institute na Tríplice Fronteira

  • Abilene Rodrigues
  • 185
  • 2017/10/20

O convênio entre o Parque Tecnológico Itaipu (PTI) e o Linux Professional Institute (LPI) para a formação de pessoas em software livre na região da Tríplice Fronteira foi formalizado nesta quinta-feira (19). A partir de então, o Centro Latino-Americano de Tecnologias Abertas (Celtab) do PTI atua na região como representante do LPI.

A assinatura do convênio entre as duas instituições ocorreu um ano após o início da parceria, firmada durante o 13º Congresso Latino-Americano de Software Livre – Latinoware 2016. Durante todo o ano, foi estruturado um plano de ações para as capacitações, que têm como objetivo a geração de renda na Tríplice Fronteira.

O diretor de relacionamento com comunidade do LPI, Cesar Brod, contou que trabalha para o Latinoware desde a primeira edição do evento, quando o PTI ainda estava sendo implementado. “Desde aquela época estávamos sempre pensando em como melhorar a questão da geração do emprego e renda, não só para a região, mas para todo o Brasil. Mas, em especial pela localização do PTI e da Itaipu, trabalhar esse território”, afirma.

O convênio entre o Parque Tecnológico Itaipu (PTI) e o Linux Professional Institute (LPI) para a formação de pessoas em software livre na região da Tríplice Fronteira foi formalizado nesta quinta-feira (19). A partir de então, o Centro Latino-Americano de Tecnologias Abertas (Celtab) do PTI atua na região como representante do LPI.

A assinatura do convênio entre as duas instituições ocorreu um ano após o início da parceria, firmada durante o 13º Congresso Latino-Americano de Software Livre – Latinoware 2016. Durante todo o ano, foi estruturado um plano de ações para as capacitações, que têm como objetivo a geração de renda na Tríplice Fronteira.

O diretor de relacionamento com comunidade do LPI, Cesar Brod, contou que trabalha para o Latinoware desde a primeira edição do evento, quando o PTI ainda estava sendo implementado. “Desde aquela época estávamos sempre pensando em como melhorar a questão da geração do emprego e renda, não só para a região, mas para todo o Brasil. Mas, em especial pela localização do PTI e da Itaipu, trabalhar esse território”, afirma.

Com a criação do Celtab no PTI e, desde que, há dois anos, Cesar entrou para a equipe do LPI, ele conta que tiveram início as discussões para formar uma parceria entre as duas instituições, de natureza social e sem fins lucrativos, que buscam a formação de pessoas e a geração de emprego e renda.

“A partir desse contrato, o Celtab passa efetivamente a ser o LPI para a Tríplice Fronteira. O LPI define os tópicos de formação profissional, e o Celtab vai transformá-los em formação e capacitação de pessoas para serem oficialmente certificadas como profissionais em software livre”, explica o diretor do LPI. Segundo ele, essa é a maior parceria global do Linux Professional Institute.

“Esse convênio vai possibilitar que o PTI, como instituição, tenha um impacto maior na comunidade de Tecnologia de Informação, e vincula o nome do Parque à comunidade de software livre. Também vai fomentar novos negócios e elevar o nível técnico da equipe”, comentou o gerente do Celtab, Miguel Diogénes Matrakas.

Participaram da assinatura do convênio o diretor superintendente do PTI, Ramiro Wahrhaftig, o diretor administrativo-financeiro do PTI, João Biral Junior, o diretor técnico do PTI, Claudio Issamy Osako; além do diretor do conselho do Instituto Linux Professional e presidente da OptDyn, Jon “Maddog” Hall.

Fonte: PTI

Apoio: