Baleia Azul será debatido durante o 14º Latinoware

  • Abilene Rodrigues
  • 747
  • 2017/10/19

O Baleia Azul, “jogo” que foi extremamente repercutido em 2017 pelos efeitos negativos causados na vida de milhares de jovens em todo o mundo, será tema de um bate-papo sobre segurança na internet durante o 14º Congresso Latino-Americano de Software Livre e Tecnologias Abertas (Latinoware) que, ocorrerá entre os dias 18 e 20 de outubro, no Parque Tecnológico Itaipu (PTI), em Foz do Iguaçu.
Segundo a fundadora do projeto “Proteja seu filho na Internet”, Gracielle Torres, embora muito tem se falado sobre o “Baleia Azul”, muitos pais e os próprios adolescentes ainda precisam de informações sobre esse jogo. “Durante nosso bate-papo quero mostrar porque os jovens se envolvem nesse tipo de desafio. Também farei uma conexão com Setembro Amarelo, mês de prevenção ao suicídio, pois o desafio final do Baleia Azul é tirar a própria vida”, explica.
Gracielle adianta que o envolvimento com esses jogos é um risco que pode estar bem mais perto das famílias do que se imagina, pois, o uso excessivo e não monitorado da tecnologia pelos jovens os colocam facilmente em contato com pessoas perigosas. Muitas delas criminosas como as que estiveram manipulando jovens para aceitar os desafios. “A tecnologia, hoje absolutamente presente na vida das pessoas, não é prejudicial, mas sim o uso inadequado e desmedido que se faz dela. As crianças estão cada vez mais distantes do convívio social e esse isolamento pode ser muito perigoso”.
De acordo com a especialista, muitas vezes, os pais acreditam que os filhos estejam seguros, por estarem perto, dentro de casa, mas é preciso ficar atento à sua vida virtual”, alerta. “É lá o ambiente preferido pelos criminosos para envolver crianças e jovens em jogos de azar, pornografia online e até mesmo desafios que podem se tornar fatais”.
No caso do Baleia Azul, Gracielle destaca que se tornou tão popular devido a necessidade dos jovens de serem desafiados. “Eles adoram um desafio. Essa é a grande “pegada” do jogo. Os adolescentes querem mostrar a todo o momento que são corajosos”.

Apoio: